sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

A PORTA




Entrei e fui logo perguntando aos ventos:
- Nesse Mundo daí, se pode SONHAR?

Uma voz ao longe ecoou:
- Depende! O que a traz aqui?

E com a maior convicção da vida respondi:
- Uma força maior, que não me deixa parar. Algo que me guia como estrela, que tem a força de milhões de tornados, a luz do sol e a direção que eu escolher: a
 LIBERDADE

A voz tornou a indagar:
- E o que traz na bagagem?

E continuei:
- Trago histórias, amores, pedaços de músicas, constelações de lembranças, sorrisos de amigos, saudades, novas expectativas, verdades, piadas idiotas, tesouros intangíveis, aventuras vividas, beijos coloridos, abraços apertados, uma cantiga de roda, uma busca sem fim, a liberdade de espírito, um bloco de papel velho e uma caneta naquim.

A voz tornou a perguntar, insistentemente:
- E o que procuras aqui?

E eu disse:
- Os ventos me guiaram até aqui, se eu puder SONHAR nesse mundo, então fico, e encontrarei não só o que quero, mas todas as surpresas que estão por vir. Procuro o que quero, mas só encontro o que sinto, e é por isso que, insconcientemente, me encontro em lugares que sempre valem a pena!

De repente a voz tomou forma, e um pequeno gafanhoto olhou dentro da

minha alma e disse:
- Bem vinda ao MUNDO REAL!

Nenhum comentário:

Postar um comentário